Nádia Schilling dia 23 de Março no Super Bock Under Fest em Vigo

Força de Produção assume o agenciamento de Nádia Schilling. Dias 23 e 24 de Março o Super Bock Under Fest leva o melhor da música atual à cidade de Vigo, numa programação espalhada por vários espaços da cidade galega. À programação da primeira edição juntam-se os galegos Rayotaser e Sen Senra e os portugueses Nádia Schilling e Xinobi.

 


Lançado no final de 2017, Above The Trees, o disco de estreia de Nádia Schilling, que chegou esta semana às lojas da FNAC e El Corte Inglès, integrou as listas de melhores álbuns do ano e de promessas para 2018 de mais de uma dezena de publicações nacionais e internacionais, de onde se destacam os sites For the Rabbits, Lyriquediscorde, Threshold Magazine, Ouvido Alternativo, Glass Journal, Santos da Casa, entre outros. 

Desde o seu lançamento, integrou também diversas playlists oficiais do Spotify, tendo chegado a milhares de pessoas por todo o mundo, segundo estatísticas da plataforma Reino Unido, Alemanha e Estados Unidos da América encabeçam a lista de países onde os temas de Above The Trees foram mais ouvidos.

Gravado ao longo de dois anos, Above The Trees contou com a participação de Filipe Melo (piano), João Hasselberg (baixo/contrabaixo), Bruno Pedroso (bateria), e de convidados como a cantora brasileira Marina Vello (Bonde do Rolê, Marina Gasolina, Madrid) e os guitarristas João Firmino e Mário Delgado, entre outros. 

Kite, o primeiro single extraído do álbum, com um vídeo da autoria de João Pombeiro, foi destacado pelo Vímeo Staff Picks e exibido em diversos festivais de cinema um pouco por todo o mundo. O vídeo pode ser revisto aqui.



As músicas deste álbum foram compostas numa velha guitarra acústica, após o período tumultuoso que se seguiu à morte da sua mãe. “Above the Trees” surge assim como um disco de uma escuridão subtil e invulgar, onde Nádia se expõe como forma de exorcismo de sombras e de catarse, mas também como um disco de memórias e um tributo. Talvez seja por isso que quem o ouve se sinta em transgressão perante algo tão pessoal e, no entanto, seja confrontado com uma força que se vai revelando a cada música e a cada detalhe. É apenas quando chega ao fim, que percebemos que fomos levados a suster a respiração em vários momentos. 

Passando por referências do folk, mas também do rock e do jazz, as suas influências vêm de artistas como Beck, Nico, Elliott Smith, Cat Power, Bill Callahan, Jon Brion, Fiona Apple, Nick Cave, Portishead, Tom Jobim, Chet Baker e Blossom Dearie. 

«Above The Trees» no Bandcamp, Spotify e iTunes






Comentários

Arquivo

Mostrar mais

Nº Visits