Capote Fest 2018. A 3ª edição do Festival da Música Moderna Portuguesa chega a Évora dias 10, 11 e 12 de Maio

Nos dias 10, 11 e 12 de Maio a Capote Música apresenta o melhor do talento nacional na SHE - Sociedade Harmonia Eborense e este ano, pela primeira vez, no Monte Alentejano. Uma iniciativa Capote, um colectivo independente que apoia a criação e ​produção musical em co-organização com a Câmara Municipal de Évora.


O Capote é um festival de música portuguesa, que pretende afirmar Évora no roteiro nacional dos festivais de música e atrair mais pessoas à cidade. Promove a nova música portuguesa através de bandas emergentes, de impacto regional, e outras já com relevância nacional. O Capote Fest é uma iniciativa da Capote Música, um colectivo independente de Évora que apoia a criação e produção musical. 

O cartaz é formado por nove bandas que aceitaram o convite para representar o melhor do talento nacional nesta 3ª edição. O arranque do Capote Fest acontece na Sociedade Harmonia Eborense no dia 10 de Maio a cargo de Cajado

A 10 e 11 de Maio, as portas do Monte Alentejano abrem às 22h00 e pelo seu palco passam concertos de Lâmina, Awaiting the Vultures, Eu Fúria, Plause, Dapunksportif, Prana, Conjunto!Evite e MommaT & The Cameltoes

Após os concertos no Monte Alentejano, o Festival continua no Pós-Capote com os Dj’s Altamont na discoteca Praxis, a partir das 3h00. A entrada é gratuita para os portadores da pulseira do Festival. 

Uma das novidades este ano é a parceria entre o Capote Fest e o Festival Grosso Modo, um evento de arte urbana a acontecer de 10 a 12 de Maio no Pólo dos Leões. 


Bandas da 3ª edição do Capote Fest 2018 


CAJADO 
Os Cajado chegam-nos do Porto, mas foi entre Évora e Santo Tirso que se criou o disco de estreia, "Anta do Livramento". Editado pela Capote Música e pela ZigurArtists em 2015, esta banda formada por Joel Fausto (Gesso, Joel Fausto & Illusion Orchestra, OMITIR, Forgotten Winter) e Daniel A. C. Catarino Bicho do Mato, Uaninauei, Alentexas, Ao Lado) descreve musicalmente os ambientes vividos nas estradas entre o sítio em que habitamos e aquilo a que chamamos casa. É neste ambiente contemplativo e instrumental que nos iremos permitir sentir saudades como uma forma de catarse e aquecer os motores na Sociedade Harmonia Eborense para os dias que se seguirão no Monte Alentejano. 

LÂMINA 
Os lisboetas LÂMINA trazem o seu irrepreensível stoner rock carregado de riffs memoráveis e uma secção rítmica de abanar estruturas. Colocaram o seu nome a negrito no mapa da música nacional em 2017 com o álbum "Lilith". Os concertos de LÂMINA são uma intensa experiência sensorial e um convite à percepção de um universo misterioso e oculto. Espera-nos um concerto de fervilhante abanar de cabeça. 

AWAITING THE VULTURES 
Os eborenses Awaiting The Vultures são já um nome afirmado regionalmente, e após a estreia homónima editada pela Capote Música em 2014, preparam o salto a nível nacional com um segundo álbum muito aguardado. No universo do post-metal, poucas são as bandas que conseguem, como eles, transmitir tamanha beleza melódica em contraste com o peso e o negrume das suas explosões sónicas. A sua música é uma espécie de passagem por terrenos pantanosos terminada em cenários idílicos.

EU FÚRIA 
O sangue novo no rock cantado em português tem o nome de Eu Fúria. Rock com tudo de intemporal, orelhudo e directo ao assunto que esperamos quando se refere o género. Com bons riffs, melodias que ficam e muita energia, este power-trio lisboeta pretende levar a fúria do seu rock pelos caminhos de Portugal e além fronteiras. Chegam ao palco do Capote Fest com o EP "Namoros Miúdos" e um disco fresquinho na bagagem, "Diversão d'Almas". 

PLAUSE 
Os alentejanos PLAUSE trazem com eles, uma paciente urgência de fazer rock com a mira apontada a uma planície a fugir de vista. A Califórnia é para meninos, é em Aldeia Nova de São Bento que se fabrica algum do melhor rock instrumental, dançável, pujante, melódico e hipnotizante. A banda encontra-se a ultimar pormenores para o lançamento e promoção do seu mais recente trabalho, o EP “One ticket, please”. 

DAPUNKSPORTIF
É um lugar-comum, mas DAPUNKSPORTIF dispensa apresentações - caso contrário, o que andaste a ouvir nos últimos 14 anos? Pois é, a banda existe desde 2004 e tem como registos fonográficos "Ready!Set!Go!" (2006), "Electro Tube Riot" (2008), "Fast Changing World" (2012) e o recente "Soundz of Squeeze 'o' Phrenia" (2018), que marca o regresso da banda depois das aventuras dos seus membros com “Ladrões do Tempo” (com o saudoso Zé Pedro), Lena d'Água & Rock N' Roll Station, entre outros projectos. Já tínhamos saudades do seu Rock musculado com laivos de stoner, e ao lado dos novos temas não faltarão clássicos como "I Can't Move" ou "I've Been All Over Town Looking For You". 

PRANA 
Os prana representam muito daquilo que a Capote Música pretende divulgar: boas canções, com boas letras, em bom Português, bem interpretadas e com energia. Se em "Trapo Trapézio", primeiro disco da banda, representavam uma grande esperança do Rock nacional, é com o lançamento do segundo álbum "O Amor e Outros Azares", que firmam os seus créditos enquanto banda de referência no género. Chegam até nós com um novo disco na bagagem "Ser Nenhum" e prometem um grande e electrizante concerto.

CONJUNTO!EVITE 
Conjunto!Evite são cinco pistoleiros do Ribatejo, procurados por espalhar o caos com o seu Rock “Progadélico”. Inspirados pela tranquilidade da paisagem ribatejana, corre-lhes nas veias o rock dos anos 60 e 70. Preparam-se para lançar em 2018 “Se Isto é um Disco”, um álbum que cruza registos mais épicos com a intimidade de uma cantiga de embalar. Ao vivo vão apresentar novos temas intercalando-os com cantigas de anteriores trabalhos, num concerto que promete viagens siderais e headbang quanto baste. 
 

MOMMA T & THE CAMELTOES 
De Évora, os Momma T & The Cameltoes em grande estreia no palco do Capote Fest. Trazem com eles um funk/blues bem ritmado e cheio de pica, aquela energia natural de quem prepara o primeiro EP. Enquanto aguardamos com expectativa por "Soft Belly", abanemos a barriga e outras partes do corpo durante o seu concerto. 



10 Maio | Sociedade Harmonia Eborense
Praça do Giraldo, 23h00 
Entrada livre para sócios da SHE 
3€ para sócios temporários 

11 e 12 Maio | Monte Alentejano
Rossio de S. Brás, Évora 
Abertura de Portas:  22h00 
Início dos Concertos: 22h30 
Bilhetes Monte Alentejano:  1 dia 7 € | 2 dias 10 € 






Comentários