Exposição de Pintura «Do Ocidente para o Oriente – Sol Nascente» da artista plástica Natália Gromicho inaugura a 28 de Abril na Casa das Artes

Índia, Timor-Leste, China e Singapura, inspiraram as 32 obras, pintadas entre 2012 e 2016 pela artista plástica portuguesa Natália Gromicho, agora reunidas na exposição «Do Ocidente para o Oriente – Sol Nascente» que inaugura, na Casa das Artes, Porto, a 28 de Abril, pelas 15h00. 



Tinta acrílica sobre tela, óleo ou técnica mista, foram usadas nestas obras em que prevalece o abstraccionismo e onde não faltam os tons quentes e as sobreposições densas, de que são exemplo a construção pictórica e ritmo de “Fukushima”, “Lago em Tóquio”, “Depois da Pesca” ou “Lost in Singapore”. 

A par destas, de destacar ainda composições de cariz figurativo em torno da figura feminina, parte de uma série em desenvolvimento. No seu todo, a exposição reúne paisagens, instantes do quotidiano mas também homenagens a ícones culturais como a gueixa ou o samurai, numa perspectiva multifacetada e abrangente do território visitado e vivenciado. 

A ligação ocidente-oriente é uma realidade de facto e não apenas artística: Natália Gromicho terminou no final de Junho de 2016 uma residência artística na Casa Garden, delegação da fundação Oriente em Macau. 

A distância que separa o Oriente do Ocidente foi a base do meu trabalho. Nasce de uma profunda admiração pelos povos orientais. Num território culturalmente tão vasto e rico, abordei apenas o que me é mais caro – disciplina, vestuário, arquitetura. Foi para mim um enorme desafio” explicou a artista a propósito daquela que foi a sua primeira exposição a solo num museu português. 



Natália Gromicho estudou pintura na Faculdade de Belas Artes e na Escola ArCo, em Lisboa. Com 20 anos de carreira, assinalados em 2015, tem representado Portugal em várias mostras internacionais, colectivas bem como individuais, num total de mais de 100 exposições. A sua obra integra colecções particulares e institucionais em todo o mundo, com destaque para Portugal, Austrália, EUA, Brasil, Itália, Rússia, França, Reino Unido, Timor-Leste, Singapura e Índia. Natália Gromicho pinta em regime de “open studio”, permitindo ao público observar o trabalho em curso.





Comentários