Festival Pauta Jazz regressa a Águeda e na edição 2018 celebra o Dia Internacional do Jazz com a presença do Septeto do Hot Clube de Portugal

O Festival Pauta Jazz regressa à cidade de Águeda e na edição 2018 celebra a data 30 de Abril, Dia Internacional do Jazz com a presença do Septeto do Hot Clube de Portugal. Este ano o festival decorre no Centro de Artes de Águeda entre os dias 29 de Abril e 5 de Maio, com workshops, cinema, exposições e encerra com um concerto da Orquestra Jazz Águeda e Miguel Calhaz e a habitual Jam Session. 



A masterclass apresentada pelos elementos do Septeto do Hot Clube de Portugal, será abordada a história do jazz, os vários estilos e épocas, as especificidades de cada instrumento e as várias facetas dos septetos ao longo dos anos. Duas horas em volta do jazz. Para músicos em qualquer grau de aprendizagem (que podem trazer instrumento), curiosos e melómanos. 
Inscrições aqui


A exposição “Jazzbandista”, que inaugura dia 29 de Abril às 18h30, é uma seleção de documentos que fazem parte de uma coleção de composições, apontamentos e anotações que datam da primeira metade do séc. XX. Um conjunto de incríveis manuscritos, transcrições de peças e excertos musicais para diferentes instrumentos onde se verifica uma clara relação com a notação da música jazz. Documentos únicos que fazem parte de uma coleção privada cheia de memória da História e do imaginário da cultura popular e da vida da região de Águeda. 

Na primeira metade do século passado a presença do Jazz em Portugal verifica-se por todo o país. A denominação dos grupos conhecidos por “jazzes” e as alcunhas de “jazzbandistas” aos seus músicos, comprovam a sua existência ainda hoje relatada. 

Neste período a música com swing e o ritmos sincopados não faziam apenas parte dos contextos culturais das grandes metrópoles, por outro lado, existiam por diferentes zonas, muitas vezes associados ao contexto da música filarmónica rica em instrumentos de sopro. 

A criação desta exposição surge no âmbito do trabalho desenvolvido pela Orquestra Jazz Águeda, enquanto extensão do seu enquadramento artístico e cultural. 



«O Septeto do Hot Clube de Portugal foi criado em 2001 e é composto por músicos de créditos firmados no panorama do Jazz português. Este grupo pretende ir ao encontro de um dos objetivos do Hot Clube, tal como foi idealizado pelo seu fundador: a divulgação do Jazz. O 7to HCP atuou já um pouco por todo o país: AngraJazz, Fozjazz, Hot Clube, Teatro Municipal da Madeira, Luanda, Festival Jazz Valado, Festival Jazz Lagos, entre outros. Entre 2008 e 2012, apresentou um repertório original de Bruno Santos (também diretor musical do septeto). Este repertório foi editado em disco em outubro de 2009. Em 2012 e 2013 teve como diretor musical Gonçalo Marques, apresentando repertório original do trompetista. O guitarrista Bruno Santos voltou a assumir a direção musical do grupo e apresenta repertório original editado em disco em setembro de 2015. 

Para este concerto, o 7to HCP é composto por: Bruno Santos (guitarra e direção musical), Joana Machado (voz), João Moreira (trompete), Pedro Moreira (saxofone tenor), Ricardo Toscano (saxofone alto), Romeu Tristão (contrabaixo / baixo elétrico) e João Pereira (bateria). 



A Orquestra Jazz Águeda apresenta o seu mais recente projeto, um concerto com Miguel Calhaz num tributo à obra de José Afonso, com arranjos dos compositores Vasco Miranda e Rodrigo Neves. Jazz em português para bigband num concerto onde a energia e a criatividade se misturam com a sensibilidade e a força emotiva das canções de um dos maiores nomes da música em Portugal.


Inspirada na tradição do Jazz, a Orquestra Jazz Águeda é um projeto criado pela Pauta Humana e a Câmara Municipal de Águeda em 2016 e constitui-se como um laboratório para a produção de música e um polo de dinâmica criativa e cultural no panorama da produção de música em Portugal. Por um lado promove a identidade cultural e a memória coletiva, enquanto que por outro fomenta uma massa crítica e um público atento. 

Sendo a região de Águeda tão rica no contexto da música filarmónica e tendo sido no passado uma região com tanta influência documentada no contexto das bigbands "os jazz" e os seus jazzmen "jazzbandistas", o surgimento de uma orquestra de jazz será um processo de acompanhamento das novas formas de abordar a linguagem musical.» 




O encerramento do Festival Pauta Jazz conta os músicos Alexandre Coelho, João Mortágua e João Cação. O trio apresenta um concerto de abertura e lidera a habitual Jam Session, para a qual estão convidados todos os músicos e amigos. 

Eu e os Joões

Alexandre Coelho (bateria) 
João Mortágua (saxofones) 
João Cação (contrabaixo) 

Uma ocasião fez o trio e assim nasceu este projeto. Ainda sem qualquer disco gravado a música pretende comunicar, ser poderosa e arrebatadora. 








Comentários