«Mapa» e «Crevescer» inspiram o universo de crianças e adultos através do teatro, da música e do cinema

As próximas semanas levam a Guimarães os espectáculos “Mapa” – projeto que engloba duas versões, «Estórias de Mundos Distantes» (para adultos) e «Contos e Cantos» (para a infância) – e «Crevescer», uma reflexão sobre o tempo que passa e que faz do crescer envelhecer, ambos apresentados no âmbito da programação de Educação e Mediação Cultural d’ A Oficina


Direitos Reservados 

Nos dias 27, 28 e 30 de Abril, e 02, 03 e 04 de Maio, Fernando Mota mostra, com grande inspiração, o “Mapa” do mundo que devemos conhecer para sensibilizar e partilhar com todos algumas coisas extremamente importantes que se passam neste nosso lar, o planeta terra. 

Na segunda quinzena de Maio, mais concretamente nos dias 18 e 19, é a Companhia Caótica que nos traz um espectáculo que reflete sobre a passagem do tempo em cada um de nós e desafia a imaginação dos mais novos em torno do que ainda está por vir. 


Direitos Reservados 

Mapa” é um projeto que engloba duas versões do mesmo espectáculo – Estórias de Mundos Distantes (para adultos) e Contos e Cantos (para a infância) –, aliando teatro e música neste mesmo território. Na sua génese está a pesquisa de histórias de resistência e evasão em países e territórios em guerra, com especial enfoque nos universos feminino e infantil. Criado a partir de textos originais, poesia oral de mulheres afegãs, músicas e sonoridades de várias culturas de África e do Médio Oriente e outros materiais plásticos e audiovisuais, procura fazer uma reflexão sobre os conceitos de território e fronteira, de pertença e de liberdade. 

A versão do espetáculo dirigida à infância – Contos e Cantos – apresenta-se na Black Box do Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG) nos dias 27, 28 e 30 de Abril, e 02 e 03 de Maio, com as sessões a terem início às 10h30 e às 15h00 de segunda a sexta e às 11h00 no sábado. Criado e interpretado por Fernando Mota, “Mapa” encontra-se integrado no Mais Dois – Programa de Aprendizagem na área das Artes Performativas, uma iniciativa da Câmara Municipal de Guimarães (Vereação da Educação) e d’ A Oficina (Educação e Mediação Cultural) que abrange todas as cerca de 2500 crianças dos 1º e 2º anos do 1º CEB, do concelho de Guimarães. A última sessão do espectáculo, que revelará a versão destinada aos adultos – Estórias de Mundos Distantes –, vai a cena na sexta-feira, 04 de Maio, às 21h30. Os bilhetes têm o custo de 2,00 euros em todas as apresentações. 




Direitos Reservados 

Duas semanas mais tarde, a 18 e 19 de Maio, surge no horizonte dos mais novos o espectáculo “Crevescer”, da Companhia Caótica. Com direção artística a cargo de António-Pedro e Caroline Bergeron, este trabalho junta em palco o teatro, a música e o cinema. “Crevescer” é o tempo que passa e que faz do crescer envelhecer. É uma reflexão em forma de espectáculo sobre este processo contínuo que muda de nome pelo caminho. Com o que há de comum e de diferente entre crescer e envelhecer, com o que imaginamos ser quando formos grandes e o que recordamos ser quando fomos crianças. É o mesmo para todos nós: aceitar o tempo que passa para podermos crevescer em paz. Vocacionado para crianças com mais de 6 anos, “Crevescer” apresenta-se às 10h30 e 15h00, na sexta-feira, e às 11h00, no sábado, 19 de Maio, no Pequeno Auditório do Centro Cultural Vila Flor. Os bilhetes têm o custo de 2,00 euros. 


Recordamos que, ao longo de todo o ano, a programação de Educação e Mediação Cultural incorpora um alargado leque de atividades permanentes entre as quais se encontram as Visitas Orientadas ao Centro Cultural Vila Flor (CCVF) e respectivo Palácio, bem como ao Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG) e à Casa da Memória de Guimarães (CDMG). Estas visitas pelo teatro, pelo museu, pelo palácio e pela Casa acontecem de portas e janelas abertas para a cidade e para o mundo, num convite à entrada de pessoas e ideias. No interior destes espaços encontram-se histórias e sentidos que nascem do encontro com objetos, tempos e lugares extraordinários. Cada visita promete ser única, com um percurso desenhado à medida da curiosidade de cada um. 

Um conjunto de Oficinas Criativas desenrola-se igualmente em todos e em cada um destes espaços ao longo do ano, proporcionando experiências criativas que se constituem em desafios para descobrir, questionar, experimentar e criar, a partir de novas linguagens e saberes. Entre artes visuais e artes performativas, do património material ao património imaterial, sugerem-se espaços de liberdade e de saber-fazer, com artistas, artesãos, professores, crianças, jovens e outros aventureiros. Estas atividades estão sujeitas a marcação com, pelo menos, uma semana de antecedência, através de telefone 253 424 700 ou e-mail mediacaocultural@aoficina.pt






Comentários