A última Conversa com o público no TMJB sobre a «Morte de um caixeiro-viajante» coloca Carlos Pimenta em diálogo com Rui Pina Coelho

A última Conversa com o público no Teatro Municipal Joaquim Benite, dedicada a «Morte de um caixeiro-viajante», acontece no próximo dia 05 de Maio, às 18h00, e coloca Carlos Pimenta, o encenador do espectáculo, em diálogo com Rui Pina Coelho, um dos responsáveis pela tradução do texto de Miller. 



A discussão promete desafiar ideias feitas, nomeadamente as que dizem respeito à personagem de Willy Loman e à sua condição de herói trágico. Que nome têm, afinal, as forças que o transcendem? O protagonista será realmente a vítima de um sistema impiedoso, obcecado com os lucros e com a produtividade, ou mais um cúmplice na sua construção? A educação que deu a Biff e a Happy, privilegiando o carisma e preterindo o saber, não constitui uma forma absurda de aquiescência? 

Idolatrar o velho caixeiro-viajante que, aos 84 anos, vivia comodamente num quarto de hotel, colado ao auscultador que lhe permitia ganhar a vida sem esforço, não significa ceder a uma passividade inadmissível na cultura americana dos self-made men? 

Estas e outras questões estarão no centro de uma conversa que não deixará de reflectir também sobre a passagem do texto para português e sobre o papel do dramaturgista e do tradutor – duas funções que Rui Pina Coelho acumulou em 2010, quando o Teatro Experimental do Porto levou a sua tradução à cena pela primeira vez. Oito anos depois, ei-la novamente em cima do palco. Será o lugar do tradutor de teatro na sala de ensaios? 


Carlos Pimenta é actor, encenador, professor na Universidade Lusófona e director da licenciatura em Artes Performativas e Tecnologias (Lisboa) e da licenciatura em Artes Dramáticas (Porto). Licenciado e mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa, foi responsável pelo Departamento de Teatro do IPAE | Ministério da Cultura (1997-2001), consultor para a Internacionalização do Instituto Camões (2002-2008) e representante de Portugal junto da Comissão Europeia para as áreas das Parcerias Criativas e Residências de Artistas. Na CTA dirigiu Variações à beira de um lago (2008), de David Mamet, e Dois homens (2009), de José Maria Vieira Mendes. 

Rui Pina é Professor Auxiliar na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL). É doutorado em Estudos Artísticos – Estudos de Teatro pela FLUL. É investigador no Centro de Estudos de Teatro da FLUL, na linha de trabalho «Discursos Críticos nas Artes Performativas». Dirige a Sinais de Cena – Revista de Estudos de Teatro e Artes Performativas e tem já vários títulos publicados. Coordenou o volume Teatro Português Contemporâneo: Experimentalismo, Política e Utopia [Título Provisório] (Bicho do Mato, 2017). Coordena o Laboratório de Escrita para Teatro, do Teatro Nacional D. Maria II. Desde 2010, colabora regularmente com o Teatro Experimental do Porto, enquanto dramaturgo e dramaturgista.



Comentários