Santa Casa dá o nome ao grande Festival anual de fado em Alfama

São as primeiras confirmações do Santa Casa Alfama, que se realizará a 28 e 29 de Setembro. Mais de 40 concertos, em 12 palcos, como sempre, no coração de Alfama. Bilhetes já à venda. 



Com a atribuição do seu nome àquele que é o grande Festival anual de Fado, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa vai associar-se à expressão artística de um estilo de música que é um elemento importante da identidade portuguesa. 

Com esta parceria, a SCML reforça o seu apoio à música nacional, no seguimento da estratégia que tem vindo a seguir nos últimos anos, com a presença em inúmeros festivais e apoios a artistas, acreditando que muitos dos valores defendidos pela instituição podem ser transmitidos através da música e dos seus vários estilos. 

No âmbito desta parceria, e à semelhança do que se tem verificado noutros festivais onde tem marcado presença, a Santa Casa pretende levar as boas causas até Alfama, através do apoio a pessoas de mobilidade reduzida nos dias de concerto, com a disponibilização de estruturas de acessibilidades. 

Ao assumir-se como naming sponsor deste Festival, a Santa Casa pretende ainda sensibilizar a comunidade para a importância da inclusão social, permitindo que, todos, independentemente da sua condição física e idade, possam ter condições logísticas para assistir aos concertos e aos artistas que mais gostam no histórico bairro de Alfama. 



Palco Santa Casa: Alexandra, António Pinto Basto e Maura, Dulce Pontes, Paulo de Carvalho, Raquel Tavares, e a jovem revelação Maria Emília




Palco Museu do Fado – Restaurante: Carlos Leitão, Cristina Maria, João Chora e Teresa Tapadas




Palco Museu do Fado – Largo do Chafariz de Dentro: Ângelo Freire, Família Parreira (António, Paulo e Ricardo), Marta Pereira da Costa e Pedro Jóia


Alexandra, António Pinto Basto e Maura, Dulce Pontes, Maria Emília, Paulo de Carvalho, Raquel Tavares, e também Ângelo Freire, Carlos Leitão, Cristina Maria, João Chora, Marta Pereira da Costa, Ricardo Parreira + Paulo Parreira + António Parreira e Teresa Tapadas, são os primeiros nomes revelados, de mais de 40 artistas que irão apresentar-se em 12 salas, na edição de 2018 do, agora chamado, Santa Casa Alfama, marcado para os dias 28 e 29 de Setembro, como sempre, no coração de Alfama. 

É bonito quando um povo se encontra com a sua própria música, sem complexos de inferioridade e com vontade de celebrar uma identidade que se reflete na cultura popular e na canção que brota espontaneamente das ruas da cidade. Neste caso, estamos a falar de Portugal, de Fado e do Festival que se realiza de há seis anos para cá no coração de Alfama. Este ano com um novo nome, Santa Casa Alfama, mas com o mesmo espírito Fadista. 

Nos dias 28 e 29 de Setembro, as vielas do típico bairro lisboeta constituem a paisagem que se entrelaça com as vozes, o trinar da guitarra, a poesia que fica solta pelas ruas… E os vários palcos espalhados por Alfama provam que o Fado consegue ser muita coisa ao mesmo tempo, sem nunca deixar de ser português. Essa diversidade também vai marcar a programação do Palco Santa Casa, situado junto ao Terminal de Cruzeiros de Lisboa.

No dia 28, há a universalidade da voz de Dulce Pontes, uma das maiores cantoras do país (e também do mundo), a sábia experiência de Paulo de Carvalho, cuja voz é tantas vezes sinónimo de liberdade, e a juventude de Maria Emília, uma das revelações deste ano de 2018. 

No dia 29, a popularidade de Alexandra, sentida nas homenagens a Amália, mas não só, o calor da voz de Raquel Tavares, a cantar o Fado em casa, no seu próprio bairro, o sotaque alentejano de António Pinto Basto, familiar ao país inteiro, e, como sempre, mais uma aposta na juventude, com uma voz que garante futuro da nossa canção: a jovem fadista Maura

Há também Fado com a curadoria do espaço que preserva o património fadista ao longo de todo o ano: o Museu do Fado


No Restaurante do Museu do Fado, esperam-se vozes que são já certezas da nossa música. No dia 28, Teresa Tapadas e Cristina Maria; no dia 29, João Chora e Carlos Leitão. E um dos momentos mais bonitos do festival está reservado para Largo do Chafariz de Dentro, com o protagonismo reservado para as guitarras de alguns dos músicos mais brilhantes da nossa música: Ângelo Freire, a Família Parreira representada pelos guitarristas António, Paulo e Ricardo Parreira, Marta Pereira da Costa, e o brilhante Pedro Jóia

Além destes palcos e novidade do Rooftop do Terminal de Cruzeiros de Lisboa, onde vai poder desfrutar-se do Fado cantado à luz encantadora do final de tarde de Lisboa, as outras salas que integram a edição deste ano do Festival são as já conhecidas e sempre espalhadas pelo coração de Alfama: Palco Ermelinda Freitas (Largo das Alcaçarias), Palco Amália (Auditório Abreu Advogados), Grupo Sportivo Adicense, Igreja de São Miguel, Sociedade Boa União, CC Dr. Magalhães Lima, Igreja de Santo Estevão e o Fado à Janela no Largo de São Miguel. 

Depois disto, é difícil recusar o convite para ir até Alfama e participar na maior celebração da nossa música, o Fado, Património Imaterial da Humanidade. 



Bilhetes 

Até 31 de Agosto
Passe de 2 dias – 25€ 
Bilhete diário – 15€ 

Até 27 de Setembro
Passe de 2 dias – 30€ 
Bilhete diário – 20€ 

Nos dias do Festival
Passe de 2 dias – 35€ 
Bilhete diário – 25€ 

O passe tem que obrigatoriamente ser trocado por pulseira, pelo próprio, colocada pela organização do Festival no Museu do Fado, a partir do dia 27 de Setembro. A pulseira dá acesso a todos os espaços do Festival até ao limite de lotação de cada um. 


Locais de Venda 
Museu do Fado, Blueticket.pt – Call Center Informações e reservas 1820 (24 horas), ABEP, Bilheteiras da Altice Arena, rede Pagaqui, FNAC e em bilheteira.fnac.pt, Worten, Phone House, ACP, El Corte Inglês, Turismo de Lisboa 
Ticketea.com 
Pacotes de bilhete e alojamento em Festicket.com 






Comentários